Meia Maratona de Portugal

Tinha definido esta Meia Maratona como o primeiro grande objectivo da época, no entanto tenho de admitir que nos dias antes da prova e no próprio dia antes da partida não estava nada confiante. O que mais me preocupava era a minha falta de treinos adequados para fazer uma Meia Maratona, não tinha feito nenhum treino superior a 14 Km e nas últimas duas semanas tirando a Corrida do Destak não tinha calçado os ténis.

Apesar de não ter feito a inscrição com o resto da equipa Squadra, combinamos encontrar-nos ao pé dos autocarros que nos iam transportar para a Ponte para estarmos a conversa pelo menos antes da partida visto que depois acabámos por seguir a ritmos diferentes.

A partida foi dada e lá fui desta vez sem a confusão que apanhei na mini maratona da 25 de Abril fruto de uma boa divisão entre os atletas da Meia e Mini. Saímos da ponte e logo ao Km 3 estava o primeiro abastecimento, água e powerade para todos o único problema foi o abastecimento ser dos dois lados da estrada e num espaço reduzido o que criou alguns atropelamentos entre os atletas que paravam e os que queriam continuar a correr.

Da minha corrida até ao Km 10 recordo a alegria de por volta do Km 5 ter seguido pela direita no caminho que dizia “Half-Marathon” em vez de seguir para a Mini como o fiz na outra ponte, de ter visto do outro lado da estrada a placa a dizer “KM 20” e pensar que uma hora e mais qualquer coisa depois estaria realmente no km 20, e por fim de um senhor da organização por volta do Km 6 ou 7 a dizer “Hidratem-se que hoje está muita humidade, bebam sempre em todos os abastecimentos”.

Durante este período fui calmamente a manter um ritmo controlado e até me ia a sentir bastante bem passando aos 10Km com 1hora e 4minutos. Por volta do Km 13 estava a o ponto de viragem e mais a frente estava o suposto abastecimento sólido, bananas nem vê-las e laranjas só as cascas. Tal como tinha feito na meia dos Palácios tinha levado um gel de casa e ao Km14 antes de passar outra vez no viaduto que ali existia foi altura de o tomar para recuperar algumas energias para a parte final da prova. Passei ao Km 15 com 1hora e 39 minutos, nesta altura o meu ritmo começava a descer mas ainda conseguia continuar a correr, pelo menos até ao Km 17.

Ao Km 17 a falta de treinos fez-se sentir, as pernas não aguentaram mais e tive mesmo de parar e ir a andar, a juntar ás pernas o calor estava insuportável e a camisola molhada a roçar nos mamilos estava a tornar muito complicado correr. Nesta altura já ia com 2horas de prova, ou seja era meio dia e meio. Lá me fui “arrastando” só a pensar no abastecimento do Km18 para beber um bocado de água que tanto precisava. Chegado ao Km18 a única coisa que vi foi as mesas dos abastecimentos já todas arrumadas e ninguém da organização, pois… pelos vistos a água tinha acabado. Lembram-se de ter falado do senhor no inicio a dizer “hidratem-se bem” ?… nesta altura só me apetecia bater-lhe…

Se já me ia a sentir pessimamente a falta de água acabou comigo e foi com grande esforço que fiz os últimos 3Km a andar, se corri uns 200 metros foi muito, sendo parte deles na recta da meta muito por culpa do speaker que tentava motivar os atletas que chegavam –  “o senhor de amarelo lá ao fundo não vai acabar a andar? Vamos lá uma corridinha, um esforço final, está quase”.  Obrigado senhor do Speaker🙂

Acabei a minha 2ª Meia Maratona em 2horas e 40 minutos, pior que na dos Palácios algo que não estava à espera, mas lá está, sem treinos não há milagres. Foi a minha pior prova na curta “carreira” de corredor de Domingo, os últimos quilómetros mesmo a andar foram um sacrifício enorme, só me apetecia parar completamente e ficar sentado, a chegada à meta foi tão complicada que só me lembrei de desligar o relógio já ia quase ao pé da Estação do Oriente.

Se esta Meia Maratona correu tão mal, foi muito por culpa minha e de vários erros que cometi, mas acho inadmissível que numa prova destas com uma inscrição nada barata, não haja água suficiente num abastecimento na parte final da corrida onde muitos atletas já levam 2horas de prova, ainda para mais num dia extremamente quente como estava.

Dados Garmin

  • Distancia – 21.09 Km
  • Tempo – 2:40:08
  • Ritmo Médio – 07:48
  • Tempo Médio – 164

—————————————————————————–

Tracking: Tracking Meia Maratona de Portugal

Classificação Oficial: 3226 / 3343

Classificações: Classificação Meia Maratona (Ficheiro Excel)

Fotos:

6 thoughts on “Meia Maratona de Portugal

  1. A mim também correu muito mal, muito pelas razões que também te assombraram como a falta de treino. Mas o sol foi o pior, não percebo como uma prova destas tem de começar tão tarde. Não sei se só eu é que estou mal, mas se tivesse começado 1h antes não me importava nada!🙂

    • Também acho que começa demasiado tarde. 9:30 seria uma boa hora, claro que obrigava as pessoas a irem mais cedo mas eu preferia assim.
      Tou para ver como vai ser este domingo na corrida da Cruz vermelha, começa às 10:45 acho que levo logo uma água de casa

  2. Bom dia. Desde já deixo os meus parabéns por essa participação e pela vontade de chegar ao fim, nem que seja a andar. Eu ainda não participei em nenhuma competição. Mas se o fizesse, não me atreveria a correr os 20Km. 10Km já faço sem qualquer problema. Para já vão-se fazendo treinos. O outro senão é a questão da falta de provas aqui na zona (Algarve). Já agora, achei curioso esta parte «a camisola molhada a roçar nos mamilos estava a tornar muito complicado correr»🙂 pois pensava que só eu é que tinha este problema. Até já punha em causa que o problema fosse da marca ou tecido da camisola.
    Em relação aos abastecimentos, a hipótese de levar um cinto com garrafas não é muito prática? É algo que se torna muito incómodo com o passar do tempo?
    Cumprimentos

    • Já tinha ouvido falar do problema da camisola ou da “problemática dos mamilos” como foi baptizada numa conversa enquanto se esperava pela partida. Agora a mim nunca me tinha acontecido e já tinha corrido varias vezes com a aquela camisola em particular. Para a próxima já sei ou colocar vaselina antes ou levar uns pensos já postos.
      Em relação ao abastecimento, já pensei na hipótese de usar um cinto mas para os treinos mais longos, para as provas nunca pensei que fosse necessário, não consigo aceitar que falte abastecimento em provas com uma organização como a do Destak e a Meia da Ponte, mas a verdade é que já por 2 provas consecutivas o abastecimento falha… Para os treinos ainda não comprei nenhum mesmo por isso do incomodo, não sei se consigo andar com o cinto ou não e estar a comprar e depois não ser capaz de o usar acaba por não valer a pena.

      Cumprimentos

  3. Como te compreendo na desolação de ver uma zona de “abastecimento”, sem abastecimento!
    E fizeste-me sentir melhor com a minha terrível prestação nos 15km. Não no mau sentido!!! Mas porque, como costumo ler os resumos de provas de outros companheiros corredores, e eles fazem sempre parecer tudo tão fácil, fico sempre com a ideia de que eu é que não devo servir para isto. É como se nunca tivessem uma má corrida, sabes? (Má mesmo, e não má porque baixaram 2 minutos no RP da distância).
    Mas a verdade é que todos passamos por isso, obrigada por partilhares a tua experiência.

    E Meia-Maratona, parabéns!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s